Dezembro começa com menos chuvas e temperaturas mais baixas em MS

Campo Grande (MS) – Depois das fortes e frequentes chuvas registradas em outubro e novembro, o mês de dezembro começa anunciando trégua. Nos dez primeiros dias do mês choveu menos que no mesmo período do ano passado e também em relação ao mês anterior, conforme dados do CEMTEC/MS (Centro de Monitoramento de Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos de Mato Grosso do Sul), órgão vinculado à Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

A temperatura também cedeu em 17 dos 26 municípios monitorados pelo CEMTEC/MS. Em Sonora e Corumbá os termômetros marcaram três graus centígrados abaixo do registrado na média dos 10 primeiros dias de dezembro do ano passado. De uma forma geral, as temperaturas estão em média 0,5°C mais baixas em dezembro deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado.

Isso acontece, conforme explicou a coordenadora técnica do CEMPTEC/MS Franciane Rodrigues, devido à quantidade de nuvens que acabam agindo como um filtro, impedindo a incidência direta dos raios solares e influenciando nos termômetros para baixo. Consequentemente, apesar da nebulosidade, a temperatura mais baixa impede a formação de nuvens de chuva. Essa combinação criou um início de dezembro ameno e menos úmido.

Nessa semana não deve chover no Estado, possivelmente apenas na região do Bolsão entre quinta-feira e sexta-feira, ainda assim pancadas isoladas. Mas para a próxima semana já são esperadas chuvas mais frequentes e intensas.

Comparativos

Nos dez primeiros dias de dezembro choveu menos em 15 dos 27 locais monitorados pelo CEMTEC/MS, em comparação com o início de dezembro do ano passado. Mas o que chama a atenção é para o volume registrado: em Amambai, por exemplo, foram 160,4 milímetros em dezembro de 2016 contra apenas 33,2 milímetros neste ano. Em Bela Vista também houve recuo significativo: 130,80mm x 40,20mm. Em Juti, de 206mm para 30,80mm. Em Sete Quedas: 131,4mm para 6,40mm.

Com relação a novembro, o índice pluviométrico de dezembro também é inferior em 19 dos 27 locais de monitoramento. Em Campo Grande o acumulado do mês de novembro somou 315,8 milímetros de chuvas, quando o esperado era 206,5 milímetros. Ou seja, 52% acima da previsão. Com relação ao acumulado do ano passado a diferença foi ainda mais significativa. Em novembro de 2016 choveu 68,8 milímetros na Capital do Estado, cinco vezes menos do que no mesmo período deste ano.

A trégua nas chuvas já faz cederem as águas de alguns rios que registraram transbordo nos últimos dias. No Miranda, a régua registrou 728 centímetros acima do nível mínimo do leito no dia 9, sexta-feira, o que forçou várias famílias a abandonarem suas casas. No sábado o nível já havia baixado para 718 centímetros e às 7h desta segunda-feira marcava 709 centímetros. Ainda se mantém a situação de emergência emitida pela Sala de Situação do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), mas é provável que nas próximas horas o leito do rio já recue para seu traçado normal.