Parques estaduais surgem como importantes atrativos turísticos em Mato Grosso do Sul

Campo Grande (MS) – Num momento em que os olhares cada vez mais se voltam para a natureza, Mato Grosso do Sul dispõe de uma abundância de opções em endereços como a Serra da Bodoquena e o Pantanal, velhos destinos turísticos já conhecidos em todo o mundo e que atraem milhares de turistas todos os anos. Entretanto, joias preciosas começam a brilhar com mais intensidade no mapa turístico sul-mato-grossense: os parques estaduais, que despontam como importantes atrativos no Boletim do primeiro trimestre deste ano elaborado pelo Observatório do Turismo de Mato Grosso do Sul.

São milhares e milhares de hectares com natureza preservada, matas exuberantes, rios e lagos cheios de luz e vida, uma explosão de beleza a cada passo que encanta e recompensa o turista. Os parques estaduais são unidades de conservação administrados pelo Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), órgão ambiental do Estado vinculado à Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro).

O Boletim revela que nos meses de janeiro a março de 2018, quatro parques estaduais receberam 2.797 visitantes. A maior atração, disparada, é o Parque Estadual das Nascentes do Taquari, com 1.850 visitantes. “Deve-se levar em consideração sua localização, que faz parte de um importante corredor ecológico com o Parque Nacional das Emas, na divisa entre os estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás”, diz análise do documento.

Destacam-se ainda o Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema e duas unidades localizadas em Campo Grande: os Parques Estaduais Matas do Segredo e do Prosa. Todas essas unidades de conservação estão passando por adequações em seus planos de manejo para possibilitar e incentivar a visitação pública, explica o secretário da Semagro, Jaime Verruck. O próximo passo é firmar parcerias com o setor privado para dotar os parques da infraestrutura necessária ao ecoturismo.

Pode não parecer, mas a estratégia tem muito mais a ver com ecologia do que com economia. “Quando você traz a pessoa para dentro da unidade de conservação, em contato com a natureza, você faz ela entender a importância de cuidar, de conservar para as gerações futuras. Cada visita é uma aula prática de ecologia que funciona muito melhor do que uma campanha publicitária. A pessoa vê, toca, sente, aspira a natureza e acaba se tornando mais um conservacionista convicto”, acredita Jaime Verruck.

Os parques

O Parque Estadual das Nascentes do Rio Taquari foi criado em 1999 e abrange 30.618 hectares nos municípios de Costa Rica e Alcinópolis, região Norte do Estado. Objetiva proteger as nascentes desse importante rio que desagua no Pantanal e sofre processo acelerado de degradação. O parque abriga sítios arqueológicos com vestígios de ocupação humana de 11 mil anos atrás. Também teria sido rota das antigas peabirus (caminhos indígenas), além de guardar belezas naturais estonteantes, como cachoeiras, canyons, cavernas. Dispõe de monitores locais para acompanhar os turistas pelas trilhas. Mais informações e reservas de passeios no telefone (67) 3241-2276.

O Parque Estadual Várzeas do Rio Ivinhema se estende por 73 mil hectares na região sul de Mato Grosso do Sul, entre os rios Ivinhema e o Paraná, abrangendo partes dos municípios de Taquarussu, Jateí e Naviraí. Criado em dezembro de 1998, o parque protege vegetações de Mata Atlântica, Cerrado e Várzea, com abundantes fauna e flora. Hoje, cinco funcionários fazem a manutenção do local, sendo um efetivo do Imasul e quatro terceirizados. Contato para mais informações (44) 98468-8661.

Criada como Reserva Ecológica do Parque dos Poderes em 1981, foi transformado em Parque Estadual do Prosa em 2002. Possui 135, 2573 hectares e está situado dentro do perímetro urbano do município de Campo Grande. Tem como objetivo principal preservar amostras de ecossistemas do Cerrado, espécies da flora e fauna nele associadas, as nascentes do Córrego Prosa, a valorização do patrimônio paisagístico e cultural da região, objetivando sua utilização para fins de pesquisa científica, educação ambiental, recreação e turismo em contato com a natureza. Representa um dos últimos remanescentes de Cerrado dentro do perímetro urbano. Dispõe de trilhas para passeios guiados que podem ser agendados pelo telefone (67) 3326-1370.

O Parque Estadual das Matas do Segredo é outro remanescente de Cerrado protegido dentro do perímetro urbano de Campo Grande. Criado em 2000, protege em seus 177,88 hectares as inúmeras nascentes que formam o Córrego Segredo. Além da pesquisa cientifica, está aberto a atividades diversas que ensinam a importância da conservação e ainda auxiliam na conscientização da população do entorno. Suas trilhas levam a nascentes rodeadas por exuberante vegetação que permite a observação de pássaros e outros animais de pequeno porte que habitam o local. Informações e reservas pelo telefone (67) 3351-9549.

O Estado conta ainda com outras cinco unidades de conservação: o Parque Estadual Pantanal do Rio Negro, as Estradas-Parques do Pantanal e de Piraputanga, os Monumentos Naturais do Rio Formoso e da Gruta do Lago Azul e a Área de Proteção Ambiental (APA) Rio Cênico Rotas Monçoeiras – Rio Coxim.