Obras no Parque das Nações avançam e o primeiro núcleo será entregue em breve

Campo Grande (MS) – As obras de reforma no primeiro dos cinco NABs (Núcleo de Apoio Básico) do Parque das Nações Indígenas estão praticamente concluídas, devendo essa unidade ser disponibilizada para uso público nos próximos dias. Os trabalhos começaram no fim de dezembro pelo Núcleo de Apoio Básico localizado próximo ao monumento em alusão à Zarabatana, onde a equipe executa os retoques finais na pintura e colocação de vidros, lâmpadas e torneiras.

Esse núcleo passou por reforma completa na parte de alvenaria, redes elétrica e hidráulica, ganhou revestimento cerâmico nas paredes dos banheiros e troca de piso, além de pias e vasos novos. Também foi construído um banheiro para portadores de necessidades especiais, além dos conjuntos masculino e feminino que já existiam. O telhado foi trocado, assim como portas, vidros e luminárias e as escadas que levam até o mirante sobre o bloco dos banheiros ganhou corrimões.

Cada Núcleo é composto por três blocos: um que abriga os banheiros, outro pode funcionar como uma cantina e o terceiro como depósito ou sala administrativa. O Parque das Nações Indígenas possui cinco Núcleos de Apoio Básico que serão todos reformados. A previsão do secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, é de que até fim de fevereiro pelo menos dois Núcleos já estejam reformados.

O governo do Estado vai investir R$ 946.580,00 na obra, que compreende, além da reforma dos NABs, a substituição das lâmpadas atuais por modelos de LED nas luminárias do setor de quadras esportivas e pista de Skate, reforma do Posto Policial (Pelotão Comunitário do PNI) e das Guaritas (portarias de acesso). Outras melhorias serão executadas por equipes do próprio Parque, como a recuperação e pintura das grades e a manutenção do sistema de videomonitoramento. Nesse trabalho serão investidos mais R$ 77 mil. Só com a compra das tintas para a pintura do gradil serão gastos R$ 15 mil, e a mão de obra será dos reeducandos.

Jaime Verruck explicou que esses recursos são oriundos de compensação ambiental. “Grandes empresas precisam compensar o Estado pelos impactos causados por seus projetos e esses recursos são revertidos em benefício da população, como é o caso das melhorias no Parque das Nações Indígenas”.

Adote PNI

A reforma viabiliza a implantação do Projeto Adote PNI, que pretende repassar para empresas privadas a tarefa de cuidar e dar manutenção a essas estruturas, além de ampliar o leque de serviços ofertados à população usuária do Parque.

“Um dos grandes problemas que nós temos aqui é em relação aos banheiros e água. As pessoas vêm pra caminhar e não tem banheiro nem onde tomar água. A partir dessa reforma nós vamos colocar isso aqui para ser adotado. A Águas Guariroba já se ofereceu para instalar bebedouros em todo Parque, essa proposta será firmada em breve. Temos também o Laboratório Sabin que quer instalar uma academia de ginástica”, disse Jaime Verruck.

As empresas interessadas em adotar espaços ou mesmo instalar alguma estrutura para prestar atendimento ao público frequentador do Parque devem apresentar suas propostas ao Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), que é o órgão encarregado pela administração do local.

“O projeto será analisado, se for preciso que seja feita alguma adequação, vamos conversar com a empresa, e após isso será assinado um termo de parceria por até cinco anos. Em troca a empresa pode fixar placas com publicidade de sua marca, nos padrões estabelecidos. Não pode ser nada ostensivo, por isso estamos padronizando a publicidade”, frisou a diretora de Desenvolvimento do Imasul, Thaís Caramori.

A parceria com empresas privadas é importante para melhorar o atendimento ao público frequentador do Parque, que tem um custo elevado de manutenção. Segundo Verruck, só com energia elétrica gasta-se mais de R$ 80 mil por mês, além do pessoal que trabalha na vigilância e apoio. Por dia, durante a semana o Parque chega a receber 2 mil visitantes e nos fins de semana o número de frequentadores salta para 4 mil.