Parque Estadual do Prosa (PEP)

Unidade de Conservação Estadual de Proteção Integral, criada primeiramente como Reserva Ecológica do Parque dos Poderes em 1981, foi elevada à categoria de Parque Estadual do Prosa (PEP) por meio do Decreto Estadual nº 10.783/2002 publicado em 21 de maio de 2002.

O Parque possui 135, 2573 hectares e está situado dentro do perímetro urbano do município de Campo Grande, capital do Estado de Mato Grosso do Sul. Tem como objetivo principal preservar amostras de ecossistemas do cerrado, espécies da flora e fauna nele associadas, as nascentes do Córrego Prosa, a valorização do patrimônio paisagístico e cultural da região, objetivando sua utilização para fins de pesquisa científica, educação ambiental, recreação e turismo em contato com a natureza.

O Parque Estadual do Prosa representa um importante instrumento para ser usado na sensibilização do público, através de visitas que tem finalidade de sensibilizar e educar as pessoas para conservação do ambiente natural e seus recursos e também da importância das Unidades de Conservação para a sociedade. O PEP constitui-se ainda em ampla fonte de estudos para acadêmicos e pesquisadores.

O Parque se tornou um ponto turístico para visitantes das cidades do nosso Estado e também de diversas regiões do Brasil. Recebemos, eventualmente, turistas de diversas regiões do mundo. Em 2012, o Parque recepcionou aproximadamente 10.000 pessoas.

O Parque representa um dos últimos remanescente de cerrado dentro do perímetro urbano. Abrange espécies regionais da fauna e da flora ameaçadas de extinção.

Veja aqui o PLANO DE MANEJO do parque.

INFORMAÇÕES SOBRE A VISITAÇÃO NO PEP

Normas

Por meio do telefone 3326-1370,  é realizado somente o agendamento para visitas, no horário das  08:00 h ás 17:00 h.
• Os visitantes deverão trajar calça comprida (calça jeans ou moleton) e calçado fechado confortável (tênis, bota, botina e boot);
• Crianças e adolescentes até doze (12) anos devem estar acompanhados dos pais ou adultos responsáveis;
• A visitação ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres – CRAS será permitida somente nas terças, quintas e sábados (veja aqui informações adicionais sobre o CRAS);
• Chegar com 10 minutos de antecedência e em caso de desistência o visitante deve ligar e avisar.

Recomendações:
• Usar repelente, porque o passeio será feito numa área natural onde existem insetos (mosquitos, pernilongos, carrapatos…);
• Fazer refeições ou lanche antes de vir para o parque;
• Crianças e adolescentes de até doze anos devem estar acompanhados pelos pais ou adultos responsáveis;
• Trazer água;

Outras informações:
• A visitação ocorre de terça a sábado, em horários pré estabelecidos no ato do agendamento, geralmente no início da manhã e da tarde;
• Nos domingos e feriados não tem visitação;
• O passeio será realizado por meio de caminhada em trilhas, com percurso e duração determinados conforme o perfil do visitante;
• A visitação no Parque e no CRAS tem como objetivo a sensibilização e educação ambiental;

Não é permitida a entrada no Parque e no CRAS:
• De visitantes com veículos motorizados e bicicletas;
• De vendedores ambulantes;
• De pessoas conduzindo animais domésticos;
• De pessoas alcoolizadas e/ou portando bebidas alcóolicas;
• A entrada e permanência de pessoas na área sem prévia autorização ou sem acompanhamento de monitor credenciado.

Não é permitida no interior e/ou proximidades do PEP e CRAS:
• Coletar plantar e animais, exceto quando autorizado pelo Imasul;
• Subir ou escrever em árvores;
• Danificar bens públicos;
• Lançar galhos, detritos outros objetos nos cursos d’água;
• Molestar ou alimentar animais;
• Caçar, nadar ou pescar;
• Importunar os demais visitantes;
• Fumar exceto em áreas já estabelecidas próximas às lixeiras (áreas externas ao Centro de Visitantes e Portaria);
• Fotografar ou filmar com fins comerciais, exceto quando autorizado pelo Imasul;
• Distribuir e/ou afixar material publicitário dentro ou entorno (cercas) do PEP, exceto mediante prévia autorização do Imasul;
• Jogar lixo;

Pesquisas no PEP
• Serão permitidas somente com autorização do Imasul;
• Informações por meio do telefone (67) 3318 5713.

A logo do Parque e seu significado.
parque estadual do prosa

Tronco na cor azul representa o encontro dos córregos Desbarrancado e Joaquim Português que formam o córrego Prosa e a copa da árvore na cor verde representa a área do Parque do Prosa.

FAUNA DO PARQUE DO PROSA

O PEP é um importante refúgio da vida silvestre, podemos encontrar no Parque muitas espécies de mamíferos, aves e répteis.

A fauna possui alterações, evidentemente pela descaracterização da vegetação e da caça predatória que anteriormente era realizada na Reserva. De forma geral, a fauna no PEP pode ser caracterizada em dois grupos: os residentes, que são os animais que podem ser avistados o ano inteiro, se alimentam e se reproduzem na área, independente de reintrodução; e os sazonais, que são as espécies que frequentam a área de acordo com a oferta de alimentos, como as aves.

Principais representantes:
Mamíferos: Tamanduá-bandeira, Tamanduá-mirim, Tatu galinha, Tatu peludo, Sagui-estrela, Macaco preto, Bugio, Lobinho, Quati, Furão, Veado mateiro, Veado campeiro, Capivara, Cotia, paca, Ouriço, Tapiti, Cuíca, Gamba comum, Gamba de orelha branca, Cuíca, Morcego beija-flor, Morcego fruteiro.

Aves: Jaó, Socó-boi, Pata do mato, Urubu, Gavião pombo, Gavião carrapateiro, Mutum, Jacu, Saracura três potes, Quero-quero, Rolinha fogo apagou, Rolinha, Pomba-pocaçu, periquito de asa amarela, Jandaia estrela, Alma de gato, Anu preto, Anu branco, Suindara, Coruja buraqueira, Caburé, Bacurau ou curiango, Surucuá de coleira, Surucuá barriga vermelha, Martim pescador, Udu, Araçari de nuca castanha, Pica pau do campo, Picapauzinho, Pica pau real, João-de-barro, Crispim, Formigueiro de asa vermelha, Papa formigas barrado, Choca barrada, Tangará de crista vermelha, Bem-ti-vi de coroa, Siriri, Bem-ti-vi rajado, Andorinha tesoura, Maria cavaleira, Papa-mosca de capuz, Cucurutado, Papa mosquito, Douradinho cristado, Verão, Gralha de crista negra, Sabiá do campo, Sabiá laranjeira, Gente de fora vem, Chopim, João pinto, Miriquita de peito branco, Miriquita amarelada, Sanhaço do coqueiro, Sanhaço cinzento, Tangará de cabeça cinzenta, Tico-tico rei, Canário da terra, Curió, Bicudo, Coleirinha, Trinca de ferro, Caboclinho, Azulão, Pintassilgo, Galo de Campina, Faisão, Ema.

Répteis: Caiçaca, Sucuri, Jibóia, Coral Verdadeira, Dormideira, Cobra-cipó, Falsa coral, Cobra d’água, Cobra-cega, Teiú, Jabuti, Cágado, Jacaré do Pantanal, Cará, Cascudo, Lambari, Mocinha, Pacu, Piavuçu, Curimbatá, Mato Grosso.
Dasyprocta azarae – Cotia
A cotia é avistada com frequência dentro do Parque, possui hábito diurno. Esses animais são importantes dispersores de sementes dos frutos que fazem parte da sua alimentação, principalmente das palmeiras pindó, bacuri, bocaiúva e buriti e do Jatobá.
Callithrix-penicilata – Sagüi estrela
Animais de hábito diurno vivem no Parque em pequenos grupos, de cinco a dez indivíduos aproximadamente. Não são encontrados com frequência, algumas vezes são vistos durante a visitação nas trilhas do Parque.
Bothrops-moojeni: Caiçaca ou jaraca, jaracona
Serpente peçonhenta é encontrada com frequência no Parque, principalmente em locais úmidos, na serrapilheira e arbustos. Eventualmente pode aparecer perto das estruturas físicas do Parque, como esta da foto.

Tupinambis-teguixim: Teiú
São animais avistados no Parque com frequência, mas somente na primavera e verão – no outono e inverno eles ficam entocados. Possuem hábito diurno.
Tigrisoma-lineatum – Socó-boi
Esta ave é vista com pouca frequência no Parque, nesta foto feita em 2011, observamos uma ave adulta com dois filhotes.

 

FLORA DO PARQUE DO PROSA

• No Parque do Prosa predominam as formações de CERRADÃO, CERRADO E MATA CILIAR;
• O Parque apresenta vegetação secundária em estado avançado de regeneração.

FAUNA DO PARQUE DO PROSA

• O PEP é um importante refúgio da vida silvestre, podemos encontrar no Parque muitas espécies de mamíferos, aves e répteis.